Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Últimos assuntos
» Futuro album Dimmu Borgir
Sab Jan 15, 2011 3:36 am por poltergeist

» Ozzy Osbourne vai lançar álbum “scream"
Sab Jan 15, 2011 3:33 am por poltergeist

» Children of Bodom- novo album previsto para 2011
Sab Jan 15, 2011 3:29 am por poltergeist

» novo vídeo Immortal - All Shall Fall
Sab Jan 15, 2011 3:24 am por poltergeist

» Entrevista com Dave Mustaine dos Megadeth
Sab Jan 15, 2011 3:09 am por poltergeist

» Salut a tous
Sab Jan 15, 2011 3:06 am por poltergeist

» Smashing Pumpkins: A banda disponibiliza EP online
Qui Nov 25, 2010 12:56 pm por Admin

» GAIA EM PESO Festival de Bandas Amadoras
Sex Out 22, 2010 2:49 pm por Admin

» GAIA EM PESO Festival de Bandas Amadoras
Sex Out 22, 2010 2:38 pm por Admin


A História do Burzum: Parte VIII – Por Caminhos Pedregosos

Ir em baixo

A História do Burzum: Parte VIII – Por Caminhos Pedregosos

Mensagem  Psychopath Paranoia em Qui Jun 17, 2010 11:50 am

Esta é uma tradução da biografia do Burzum, em nove partes, publicada originalmente no site www.burzum.org (oficial de Burzum) e redigida pelo próprio Varg Vikernes.
O texto foi traduzido na sua totalidade, e não expressa a opinião do tradutor (César Guerreiro), nem do Fórum TIMM, nem de nenhum outro senão a do próprio autor, Varg Vikernes.

Há muitos caminhos pelos quais podemos conduzir a nossa vida, mas a grande maioria escolhe seguir o rebanho pela estrada ampla e bem pavimentada que somente leva à mediocridade espiritual e à estagnação. No final da jornada, eles não deixaram traços da sua existência e simplesmente passam para o esquecimento. Como gado, eles seguem o indivíduo na frente deles, sem pensar muito no que estão a fazer, e caminham directamente para o nada. Eles escolhem esse caminho porque é o que oferece a menor resistência e a vida mais confortável.

Porém, há outros caminhos que o homem pode percorrer na sua vida. Naturalmente, os caminhos dos nossos antepassados estão pedregosos e cobertos por vegetação hoje em dia. Ninguém percorreu esses caminhos por muito tempo e a natureza selvagem retomou a maioria deles. Precisamos de procurar com cuidado até para descobrir se existem realmente. Entretanto, esses caminhos não são fáceis. Aqueles que seguem pelos caminhos pedregosos irão, na sua jornada, tropeçar em pedras cobertas de musgo, raízes em florestas negras e, frequentemente, escorregarão e cairão na lama, ficarão presos nos brejos e terão de atravessar perigosas correntes a nado. Fora um ou outro andarilho que poderão encontrar pelas florestas, esses também são caminhos bastante solitários. Provavelmente andarás sozinho.
Quando os caminhos pedregosos cruzam a estrada pavimentada do rebanho, o viajante solitário – mal cheiroso, sujo e vestido de trapos – encontrará uma chuva de linguagem abusiva, zombaria, desprezo, medo e até ódio. O gado está acostumado a seguir obedientemente o indivíduo na frente deles sem ser perturbado. Um indivíduo que viaje por outra direcção, ou que cruze a estrada, sempre causará confusão e incerteza entre a multidão de massa cinzenta limitada.
O rebanho não encontra mistérios, segredos, iluminação espiritual ou culturas antigas na estrada pavimentada. As runas e as peças de ouro dos deuses somente podem ser encontradas na grama verde ou sob o musgo dos caminhos pedregosos e cobertos de vegetação. A iluminação somente será alcançada pelo indivíduo que parar de seguir os passos da pessoa na sua frente e olhar para o céu, em busca de mudança. A cultura antiga somente será aprendida por aqueles que andarem por onde os ancestrais já andaram e agirem como os nossos antepassados agiram.
Não é fácil encontrar saídas que levem aos caminhos pedregosos fora da estrada pavimentada. A maior parte das pessoas passa rapidamente por eles sem se perceber que estão lá. Precisas procurar por eles, muitas vezes nos lugares mais improváveis, e mesmo assim poderá não encontrá-los. Outros têm mais sorte, pois seguiram as informações de outros. Destino é, talvez, tudo o que importa e aqueles que são predestinados a encontrar os caminhos pedregosos conseguirão, um dia, encontrá-los. Quer eles gostem ou não.
Eu estou andando num desses caminhos pedregosos e talvez seja por isso que às vezes é difícil para as pessoas perceberem o que estou a dizer, a fazer ou pensar e talvez seja por isso também que muitos reagem com repugnância ou medo, não importa o que eu faça ou diga. Mas e daí? Eu sei o que é essencial na vida e só importo-me realmente com os “heróis e heroínas espirituais”, os Einherjers [N.: Guerreiros mortos recolhidos pelas Valquírias para irem ao palácio de Valhala, onde viverão em banquetes e fartura até o derradeiro dia do Ragnarok] e as Valquírias, que ocasionalmente encontro nas florestas e que encontraram a sua própria saída da estrada pavimentada. Eu só importo-me realmente com indivíduos fortes que estão a procurar as runas e o ouro dos deuses na relva verde. Eu realmente só respeito os outros que gostam de mim e andam por caminhos pedregosos. As massas medíocres não importam nem um pouco. Valhalla não é para as ovelhas.
Varg "Loki" Vikernes (December 2004)
Varg "Loki" [N.: Figura complexa da mitologia nórdica, era um dos filhos de Odin e pode ser considerado, entre outras coisas, como um símbolo da maldade] Vikernes (Dezembro de 2004)
Aurum nostrum non est aurum vulgi!
(O nosso ouro não é como o ouro do homem comum)
avatar
Psychopath Paranoia

Mensagens : 107
Pontos : 210
Reputação : 5
Data de inscrição : 05/06/2010
Idade : 27
Localização : Sousel

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum